Mobilidade urbana à luz da justiça social: convite a uma perspectiva alternativa

Resumen

Este artigo busca oferecer uma possibilidade de interpretação/condução das políticas de mobilidade sob a ótica da justiça social. Para tanto, parte da premissa de que o novo paradigma multifacetado que trata dos deslocamentos urbanos, exige também a observação e incorporação de outros eixos de subordinação para além da renda ¬- incluindo a diversidade sexual, a raça, a etnicidade, para mencionar alguns - que são usualmente secundarizados nas análises. Para montagem dessa reflexão teórica, lança mão de uma revisão de literatura que passa pelas dimensões da produção do espaço urbano, da desigualdade, das teorias distributivas, sem deixar de acionar autores que lidam diretamente com a temática que conjuga exclusão social e desvantagens no transporte. Conclui, sugerindo que a adesão das agendas de pesquisa do campo orientadas por essa perspectiva pode subsidiar avanços significativos na assunção da mobilidade urbana como uma via - de fato - do direito à cidade.

Biografía del autor

Instituto de Pesquisa em Planejamento Urbano e Regional, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Referencias

Acselrad, H. (2013). Os movimentos de junho: uma introdução à ecologia política da mobilidade urbana. Em 13º Simpósio Nacional de Geografia Urbana, Rio de Janeiro, RJ, Brasil.

Barbosa, J. (2016). O significado da mobilidade na construção democrática da cidade. Em R. Balbim, C. Krause e C. Linke (Orgs). Cidade e Movimento: Mobilidades e Interações no Desenvolvimento Urbano (pp. 43-56). IPEA, ITDP https://www.ipea.gov.br/portal/images/storiesPDFs/livros/livros/160905_livro_cidade_movimento.pdf

Falavigna, C., Rodrigues, T., e Hernández, D. (2017a). Mobilidade inclusiva. Em L. Portugal (Org.), Transporte, mobilidade e desenvolvimento urbano (pp. 219-241). Elsevier.

Falavigna, C., Rodrigues, T., e Hernández, D. (2017b). Mobilidade socialmente justa. Em L. Portugal (Org.), Transporte, mobilidade e desenvolvimento urbano (pp. 243-267). Elsevier.

Fraser, N. (2002). A justiça social na globalização: redistribuição, reconhecimento e participação. Revista Crítica de Ciências Sociais, (63), 7-20. https://doi.org/10.4000/rccs.1250

Harkot, M. K. (2018). A bicicleta e as mulheres: mobilidade ativa, gênero e desigualdades socioterritoriais em São Paulo. (Dissertação de Mestrado em Planejamento Urbano e Regional, não publicado). Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo, São Paulo.

Harvey, D. (1980). A Justiça social e a cidade. Editora Hucitec.

Harvey, D. (2005). A geografia da acumulação capitalista: uma reconstrução da teoria marxista. Em D. Harvey, A produção capitalista do espaço (pp. 41-73). Annablume.

Hildebrand, M. (2020). O planejamento da mobilidade na região metropolitana de São Paulo: progressões e contradições à luz da (in)justiça social. (Dissertação de Mestrado em Planejamento Urbano e Regional, não publicado). Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil.

Instituto de Políticas de Transporte & Desenvolvimento, Multiplicidade Mobilidade (2020). Sensibilidade de variáveis sociodemográficas na mobilidade urbana, versão 1.0 Português. https://itdpbrasil.org/wp-content/uploads/2021/02/Sensibilidade-de-variaveis-sociodemograficas-na-mobilidade-urbana.pdf

Kaufmann, V. (2014). Mobility as a tool for sociology. Sociologica, (1), 1-17. https://doi.org/10.2383/77046

Lefebvre, H. (1999). A ilusão urbanística. Em H. Lefebvre, A revolução urbana (pp. 139-150). Ed. UFMG.

Lefebvre, H. (2008). O direito à cidade. 5ª ed. Centauro.

Lemos, D. (2004). Análise das relações existentes entre acessibilidade, mobilidade e desenvolvimento urbano: o caso da cidade do Rio de Janeiro. (Dissertação de Mestrado em Engenharia de Transportes, não publicado). Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil.

Lojkine, J. (1997). Da política estatal à política urbana: o papel do Estado na urbanização capitalista. Em J. Lojkine, O Estado capitalista e a questão urbana (pp. 143-196). 2ª ed. Martins Fontes.

Lucas, K. (2012). Transport and social exclusion: where are we now? Transport Policy, 20, 105-113. https://doi.org/10.1016/j.tranpol.2012.01.013

Marques, E. (2005). Elementos conceituais da segregação, da pobreza urbana e da ação do Estado. Em E. Marques e A. Torres (Orgs.). São Paulo: segregação, pobreza e desigualdades sociais (pp. 19-56). Editora Senac.

Martens, K. (2006). Basing transport planning in social justice. Berkley Planning Journal, 19(1), 1-17. https://doi.org/10.5070/BP319111486

Pereira, R., Braga, C., Serra, B., e Nadalin, V. (2019). Desigualdades socioespaciais de acesso a oportunidades nas cidades brasileiras, 2019. Texto para Discussão Ipea, (2535).

Pereira, R., Schwanen, T. e Banister, D. (2016). Distributive justice and equity in transportation. Transport Reviews, 37(2), 170-191. https://doi.org/10.1080/01441647.2016.1257660

Pinto, A. e Ribeiro, L. (2016). Espaços públicos e mobilidade urbana: uma análise comparada dos arranjos normativos de Bogotá́ (Colômbia) e do Rio de Janeiro (Brasil). Cuadernos de Geografía: Revista Colombiana de Geografía, 26(1), 171-186. https://doi.org/10.15446/rcdg.v26n1.54537

Svab, H. (2016). Evolução dos padrões de deslocamento na Região Metropolitana de São Paulo: a necessidade de uma análise de gênero. (Dissertação de Mestrado em Engenharia de Transportes, não publicado). Escola Politécnica da Universidade de São Paulo, São Paulo.

Vasconcellos, E. (2001). Transporte urbano, espaço e equidade: análise das políticas públicas. 2ª ed. Annablume.

Vasconcellos, E. (2014). Políticas de transporte no Brasil: a construção da mobilidade excludente. Manole.

Veloso, A. (2015). O ônibus, a cidade e a luta: a trajetória capitalista do transporte urbano e as mobilizações populares na produção do espaço. (Dissertação de Mestrado em Geografia). Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, Brasil.

Villaça, F. (2011). São Paulo: segregação urbana e desigualdade. Estudos Avançados, 25(71), 37-51. https://doi.org/10.1590/eS0103-40142011000100004
Palabras clave política urbana, movilidad urbana, planificación del transporte, justicia social
Compartir
Cómo citar
Hildebrand, M. (2021). Mobilidade urbana à luz da justiça social: convite a uma perspectiva alternativa. Revista INVI, 36(102), 20-53. Consultado de https://revistas.uchile.cl/index.php/INVI/article/view/63527/68232
Publicado
2021-08-24