Índices de vulnerabilidade à erosão das praias da Ilha de Itamaracá, litoral norte de Pernambuco, Brasil

Autores/as

  • Carlos Fabrício Assunção da Silva Universidade Federal de Pernambuco
  • Bruno Ferreira
  • Eduardo Paes Barreto
  • Maria das Neves Gregório
  • Valdir do Amaral Vaz Manso
  • Ana Lúcia Bezerra Candeias
  • Weyller Diogo Albuquerque Melo

Resumen

As praias do Forte Orange, Pilar e Jaguaribe estão localizadas a 50 km ao norte da cidade do Recife, no município da Ilha de Itamaracá. Nas últimas décadas apresentou um rápido crescimento urbano, ligado principalmente às atividades turísticas da orla. As construções irregulares e empreendimentos turísticos na zona da pós-praia diminui a capacidade de transporte dos sedimentos, e sua deposição no sistema praial interferindo na morfodinâmica do ambiente e, assim, promove a instalação da erosão marinha. O estudo teve como objetivo identificar e avaliar através de índices quantitativos e qualitativos o grau de vulnerabilidade à erosão costeira. Para isto foi levado em consideração as atividades humanas e as características naturais da praia. A metodologia foi realizada a partir do mapeamento de toda a orla. Identificou-se cada setor, por células e os índices do grau de vulnerabilidade foram definidos como: alto, médio e baixo. No setor 1 (Sul) observou-se um grau moderado de vulnerabilidade à erosão, este apresentou uma pós-praia desenvolvida com certa tendência a progradação. O setor 2 (Centro) recebeu um alto grau de vulnerabilidade, onde parte da pós-praia foi totalmente ocupada, apresentou estruturas rígidas de proteção à costa. O setor 3 (Norte) recebeu também alto grau de vulnerabilidade, este setor apresentou boa parte da pós-praia ocupada com construções inadequadas e um pequeno trecho deste ambiente desenvolvido, com tendência a progradação. A identificação de setores por meio do grau de vulnerabilidade mostrou ser uma importante ferramenta de análise e fornece subsídios a política públicas e ao gerenciamento costeiro.

Palabras clave:

Praias, Construções, Vulnerabilidade, Progradação, Ilha de Itamaracá, Erosão.